Login to your account

Username *
Password *
Remember Me
Segunda, 25 Maio 2020
Muito Nublado

18°C

Condeúba

Muito Nublado

Umidade: 95%

Vento: 5 km/h

Curta Nossa Página

Quem estiver comprovadamente contaminado com o novo coronavírus (covid-19) até um dia antes da aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), marcado para 1º e 8 de novembro, deverá comunicar sua condição na página do participante e poderá ser incluído na reaplicação da prova, em data a ser definida.

A previsão consta no edital com as regras do Enem divulgado na terça-feira (31) pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

A participação na reaplicação da prova costuma ser permitida para quem estiver com doença infectocontagiosa. A lista, neste ano, inclui a covid-19. São também incluídas coqueluche, difteria, rubéola, sarampo e meningite, entre outras doenças. A lista completa pode ser conferida no item 6.16.1 do edital.

Já o participante que sofrer um acidente e ainda assim quiser fazer a prova poderá solicitar atendimento especializado até um dia antes da aplicação do Enem, e não mais somente no período de inscrição.

Pelo edital deste ano, em caso de acidentes ou casos fortuitos ocorridos após o período de inscrição, o candidato deverá solicitar o atendimento especial por meio da Central de Atendimento do Enem, no número 0800 616161, até 24 horas antes da prova.

O governo federal anunciou uma medida provisória (MP) que autoriza as empresas a reduzirem, proporcionalmente, a jornada de trabalho e os salários dos empregados. O objetivo é evitar que as empresas demitam durante o período da crise provocada pelo novo coronavírus.

O programa contempla todas as empresas, inclusive os empregadores domésticos, englobando o total de 24,5 milhões de trabalhadores. O prazo máximo para a utilização das medidas é de 90 dias.

De acordo com a medida provisória, as empresas que aderirem ao programa não vão poder demitir os funcionários pelo período em que acordaram a redução proporcional de jornada e salário. Além disso, o empregador tem a obrigação de garantir o emprego do funcionário por um período igual ao da redução de jornada. Por exemplo: se houver uma redução de jornada durante 3 meses, o trabalhador tem direito de continuar na empresa por mais 3 meses.

“Quando a empresa participa da iniciativa, automaticamente seus funcionários adquirem uma estabilidade provisória no emprego, ou seja, se durante três meses o funcionário trabalhou com salário e jornada reduzida, ele tem estabilidade pelos três meses seguintes”, explica a advogada trabalhista Bianca Canzi, do Aith, Badari e Luchin Advogados.

FONTE: G1

O governador Rui Costa atualizou na tarde desta quinta-feira (2) que a Bahia tem 267 casos confirmados do novo coronavírus. Em relação ao boletim divulgado pela Secretaria de Saúde da Bahia na última quarta-feira (1º), o aumento foi de 21 infectados.

"São 267 casos. Ontem eram 246. Dentro da margem de segurança, é um aumento de 8%. É positivo. No meio dessa crise, não deixa de ser um dado positivo porque estamos em um ritmo baixo de crescimento", declarou Rui.

Segundo Rui Costa, Belmonte e Irecê entraram na lista de municípios com casos. "Vamos estender as medidas mais restritivas de convívio social", indicou o governador.

Entre os casos, 43 pessoas estão curadas e 33 estão internadas.

A Sesab ainda deve fechar a quinta-feira com um novo balanço no final da tarde. Até o momento, três óbitos por causa da doença foram confirmados.

FONTE: Bahia Notícias

Após ter liberado, nesta terça-feira (31), o Boletim Epidemiológico diário, a Secretaria Municipal de Saúde recebeu, no início desta noite, novas informações do Laboratório Central (Lacen). Vitória da Conquista atesta seu primeiro caso para a Covid-19.

Trata-se de um homem, de 27 anos, que estava sob monitoramento.

O boletim com os novos dados vai ser liberado em instantes pela Secretaria de Saúde do Município.

FONTE: PMVC

O deputado estadual Pedro Tavares (DEM), recebeu nos últimos dias, vários relatos de estudantes baianos que não conseguem sair da Bolívia por conta do fechamento das fronteiras pelo Governo boliviano, como forma de conter o avanço do coronavírus no país. Com a suspensão das aulas nas universidades há dezoito dias, os estudantes estão em situação precária, com poucos recursos e sem assistência. São mais de duzentos brasileiros, em Cochabamba, que, em meio a pandemia não conseguem viajar para o Brasil. O parlamentar pede o apoio das autoridades brasileiras para que os cidadãos sejam amparados e repatriados, já que a rodoviária e o aeroporto da cidade encontram-se fechados.

O deputado conversou com duas jovens de Irecê, que estudam no país vizinho há quatro anos. As irmãs Gabriela, 24 anos e Talita Andrade de Barros, 26 anos contaram a rotina difícil, onde cada uma só pode sair uma vez por semana, seguindo critérios a partir da numeração da carteira de identidade, sendo o horário restrito de 8 h às 11 h. “Esse tempo muitas vezes não é suficiente para irmos ao banco e ao mercado, pois sempre enfrentamos filas”, contou Gabriela. As medidas locais também são rígidas, conforme relatou Talita. “Caso a pessoa seja encontrada na rua fora do horário pode pagar uma multa no valor de R$ 700, se for de carro o valor aumenta para R$1.200. O portão do nosso prédio também fecha às 11h, caso cheguemos depois corremos o risco de ficar na rua. A situação está muito complicada”, lamentou.

A Bahia registra 176 casos confirmados do novo coronavírus (Covid-19), o que representa 4,3% do total de casos notificados. Até o momento, 1.393 casos foram descartados e houve um óbito confirmado no último sábado. Trata-se de paciente do sexo masculino, 74 anos, residente em Salvador, que estava internado em hospital da rede privada, com comorbidades associadas.

Este número contabiliza todos os registros de janeiro até as 17 horas desta segunda-feira (30). Ao todo, 17 pessoas estão curadas e 18 encontram-se internadas, sendo 8 em Unidades de Terapia Intensiva (UTI).

O Senado aprovou nesta segunda-feira (30) em sessão virtual, por 79 votos votos a zero, o projeto que prevê o repasse de R$ 600 mensais a trabalhadores informais. A aprovação foi motivada pela pandemia do novo coronavírus, e o texto prevê o pagamento por três meses.

A proposta foi aprovada pela Câmara dos Deputados na semana passada segue para a sanção do presidente Jair Bolsonaro. Segundo o projeto, o pagamento do auxílio será limitado a duas pessoas da mesma família.

O projeto do governo previa R$ 200 por mês. No Congresso, os parlamentares aumentaram o valor para R$ 600.

Um evento denominado “Corona Fest” foi interrompido em Brumado, no Sertão Produtivo, sudoeste baiano, na tarde deste domingo (29). Devido ao fato, cerca de 30 pessoas foram parar na delegacia. A festa ocorria em um espaço no barro Malhada Branca. Ao receber denúncias, policiais militares da 34ª Companhia Independente de Polícia Militar se dirigiram ao local onde se depararam com a aglomeração de pessoas.

FONTE: Bahia Notícias

O Ministério da Saúde divulgou neste domingo (29) um novo balanço dos casos da Covid-19 no Brasil. São 136 mortes, 4.256 casos confirmados e 3,2% de taxa de letalidade. Os dados nacionais já contabilizaram a primeira morte na Bahia.

O Nordeste continua sendo a segunda região com o maior número de casos, com 720. A Bahia é o segundo estado da região com mais casos, com 154 casos confirmados pela pasta federal.

Os novos dados acrescentaram 22 mortes ao total. No balanço anterior, do último sábado (28), o Brasil tinha 114 mortes. Foi o mesmo acréscimo de sábado, em que tinham aumentado 22 mortes em relação à sexta.

O número de casos confirmados aumentou em 352 no balanço deste domingo. Até o sábado, eram 3.094 confirmados. A taxa de letalidade também subiu, saltou de 2,8% até o sábado (28) para 3,2% neste domingo.

FONTE: Bahia Notícias

Um estudo feito pelo Imperial College de Londres diz que o Brasil em caso de nenhuma estratégia de isolamento e de enfrentamento da pandemia fosse feita, poderia ter mais de 1,15 milhão de mortes devido à Covid-19.O estudo analisa impacto em 202 países, eles concluíram que, se os governos adotarem medidas rigorosas cedo, como testes de diagnóstico, isolamento de doentes e distanciamento social para frear a disseminação do vírus, 38,6 milhões vidas podem ser salvas. Isso representa uma redução de mortalidade de cerca de 95%.

Com estratégias de supressão rígidas para toda a população, que são aquelas que buscam bloquear a circulação do vírus, o estudo diz que o número de mores pode ser reduzido para 44,2 mil, segundo o G1.

X

Proteção de Conteúdo

Conteúdo protegido por direitos autorais. Para obter autorização de reprodução, envie um e-mail para contato@folharegionaldecondeuba.com.br.